Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
  SetaSALA DE IMPRENSA FB
 
 
Release
Bookmark and Share      

28/09/2020 - 10:01 - Texto & Cia Comunicação
SBH pede ao governo compra emergencial de medicamentos substitutivos para hanseníase
SBH pede ao governo compra emergencial de medicamentos substitutivos para hanseníase - TEXTO & CIA COMUNICAÇÃO

Brasil é o 2o país com mais casos da doença. Presidente da sociedade médica alerta que não há denúncias de desabastecimento no mundo ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
Em reunião da recém-criada Frente Parlamentar de Enfrentamento da Hanseníase, nesta quinta-feira, 24 de outubro, Claudio Salgado, presidente da Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH), propôs à Coordenadoria-geral de Vigilância das Doenças em Eliminação do Ministério da Saúde a compra emergencial de medicamentos substitutivos para suprir a falta de PQT (poliquimioterapia, coquetel de drogas para tratamento da hanseníase) no Brasil.

Ficou decidido que o Ministério da Saúde solicitará, na Comissão Externa, um termo de aquisição de medicamentos substitutivos com recursos para enfrentamento da Covid-19, visto que o desabastecimento teve como causa principal a pandemia.

Claudio Salgado lembra que o Brasil deve ser o único país onde falta medicação para os pacientes de hanseníase. "Nas listas de discussão brasileiras e estrangeiras das quais participamos, e que reúnem especialistas de vários países, não há denúncias de desabasteciento de PQT em outros países.

Desde o início da pandemia, a SBH vem recebendo denúncias de falta de medicamento para pacientes que estão com seus tratamentos interrompidos. A hanseníase tem cura e o tratamento é feito com antibióticos. Quando inicia o tratamento, o paciente deixa de ser transmissor da doença. Se interrompe a ingestão de medicamentos, além de voltar a transmitir a hanseníase, há o risco de surgimento ou agravamento de sequelas – que podem chegar a ser incapacitantes e irreversíveis. O paciente ainda pode ter reações como dores pelo corpo, por exemplo, que o impedem de cumprir atividades rotineiras, trabalhar ou estudar.

Durante a reunião desta quinta-feira, com a presença de representantes do Ministério da Saúde, diretores da SBH, Frente Parlamentar de Enfrentamento da Hanseníase, pacientes, sociedades médicas e organizações sociais que representam pacientes e famílias de vítimas da hanseníase, como o Movimento de Reintegração das Pessoas Afetadas pela Hanseníase e seus Familiares (Morhan), a coordenadora-geral de Vigilância das Doenças em Eliminação, Carmelita Ribeiro Filha, alegou interrupção da fabricação e problemas logísticos para recebimento de PQT no Brasil. A medicação para tratamento da hanseníase é doada ao Brasil pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e não houve interrupção da produção durante a pandemia, conforme informa a OMS no site zeroleprosy.org , uma coalisão de organizações que atuam no combate à doença no mundo, tendo a OMS como observadora.

A SBH oficiou o Ministério da Saúde para que apresente a documentação de solicitação de drogas à OMS e distribuição no Brasil para levantar responsabilidades pela falta de medicação no país e acionar organismos, no Brasil ou exterior, a fim de evitar que o problema volte a ocorrer. Por enquanto, a documentação não foi liberada. Solicitou também levantamento sobre contaminação por coronavírus e mortes por COVID-19 em pacientes de hanseníase, já que o país possui um dos melhores sistemas de acompanhamento de pacientes do SUS, especialmente de doenças de notificação compulsório, que é o SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação).

“Torcemos para que o Ministério da Saúde importe medicação substitutiva – lembrando que o país já é o segundo colocado no ranking mundial da hanseníase – e aguardamos posicionamento do governo”, diz Salgado.
Data de inclusão: 28/09/2020
Fone: (16) 39162840
Contato: Bruna
Empresa: Texto & Cia Comunicação
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Saúde ]
Este Release foi visto 93 vezes

 

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
 
 
 
 
 
 
 
 
   
   
       
       
       
 
       
 
Institucional Quem Somos
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook
Linkedin
Twitter
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.