Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
  SetaSALA DE IMPRENSA FB
 
 
Release
Bookmark and Share      

23/09/2020 - 11:50 - DOC Press
Setor da Saúde encolhe 3,5%, no primeiro semestre, e fecha mais de 5 mil postos de trabalho
Setor da Saúde encolhe 3,5%, no primeiro semestre, e fecha mais de 5 mil postos de trabalho - DOC PRESS

Produção doméstica de dispositivos médicos despencou 27,1%. Importações cresceram 21,2%, impulsionadas pela Covid-19, sendo os EPIs,
isoladamente, com elevação de quase 2.000% ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
Engana-se em acredita que o setor da saúde não sofreu as consequências econômicas da pandemia. Dados do Boletim Econômico da Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (ABIIS), que acabam de ser divulgados, revelam que o consumo aparente de Dispositivos Médicos caiu 3,5%, nos seis primeiros meses de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado. Os segmentos que mais sofreram queda de consumo foram próteses e implantes (-23,7%) e materiais e equipamentos para a saúde (-12,9%). O setor fechou 5.235 postos de trabalho, o equivalente a 3,7% do total de 136.671 trabalhadores nas atividades industriais e comerciais.
“A preparação para o atendimento da população na pandemia aumentou a demanda por produtos de nichos específicos, como materiais e equipamentos usados em leitos de média e alta complexidade e testes para a detecção da Covid-19. Mas o cancelamento de procedimentos médicos não relacionados à pandemia reduziu as compras externas e a fabri¬cação doméstica de produtos dos demais segmentos do setor”, explica o diretor executivo da ABIIS, José Márcio Cerqueira Gomes.
Entre janeiro e junho, houve crescimento nas importações de produtos do setor, concentrado nos segmentos voltados para o atendimento da Covid-19 de equipamentos hospitalares (+37%), mobiliário de uso médico hospitalar (+19%), equipamentos de proteção individual - EPIs (+1.929%) e reagentes para diagnóstico in vitro (+32%). Com isso, o índice de importação cresceu 21,2%, na comparação com o primeiro semestre de 2019, totalizando US$ 3,1 bilhões. Por outro lado, a produção doméstica recuou 27,1%.
As atividades de prestação de serviços hospitalar e ambulatorial (públicas e privadas) representam 4,3% da atividade econômica do país, de acordo com o IBGE. O Boletim Econômico ABIIS destaca cálculo efetuado pela FGV que assinala que a retração do setor saúde no primeiro semestre foi responsável por 0,8% do recuo total de 5,9% no PIB no período, em relação a igual período do ano anterior. O desaquecimento na saúde exerceu um impacto de 13,5% na desaceleração da economia brasileira.
José Márcio Cerqueira Gomes ressalta que, “analisando a evolução do consumo aparente do mercado de dispositivos médicos desde 2012, quando o Boletim da ABIIS começou a ser produzido, estamos mais de 10% abaixo do patamar daquele período”.
Para o segundo semestre, a tendência é de melhora no setor. “Com a queda no número de infectados pela Covid-19, acreditamos que os procedimentos eletivos, pouco a pouco, voltem a ocorrer. Estamos com uma perspectiva de leve recuperação no segundo semestre e de encerramento de 2020 com queda na atividade de entre 1% e 2%”, conclui o direto executivo da ABIIS.
O Boletim Econômico ABIIS é desenvolvido pela Websetorial Consultoria Econômica.
Data de inclusão: 23/09/2020
Fone: (11) 55338781
Contato: José Luchetti
Empresa: DOC Press
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Economia e Finanças][Geral][Saúde ]
Este Release foi visto 51 vezes

 

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
 
 
 
 
 
 
 
 
   
   
       
       
       
 
       
 
Institucional Quem Somos
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook
Linkedin
Twitter
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.