Escrever Bem

   
Pautas INCorporativa
FB   SetaRANKING SetaSala de imprensa SetaBusque Assessorias
 
 
Release
Bookmark and Share      

02/12/2015 - 17:36 - #INCorporativa*
PlayVinil apresenta Tributo ¨25 Anos Sem Cazuza¨ em Catanduva
PlayVinil apresenta Tributo ¨25 Anos Sem Cazuza¨ em Catanduva - #INCORPORATIVA*

Show acontece no próximo sábado (5) em prol da AVCC (Associação Voluntária de Combate ao Câncer), no Clube de Tênis de Catanduva. O tributo já foi sucesso no João Rock 2015 e no Theatro Pedro II em Ribeirão Preto (SP), no Camarote Brahma Country em B ...

Siga as #pautas no Facebook e Twitter         www.pautas.incorporativa.com.br
Ribeirão Preto (SP), 2 de dezembro de 2015 – No próximo sábado, 5 de dezembro, a banda PlayVinil se apresenta em Catanduva, no interior de São Paulo, no Clube de Tênis de Catanduva. Em cartaz o Tributo ¨25 Anos Sem Cazuza¨, a partir das 22h. A apresentação marca os 25 anos em que a música brasileira e milhões de fãs perderam Cazuza - compositor, cantor, roqueiro e poeta que ficou conhecido por diversas gerações com canções como Maior Abandonado, Bete Balanço, Ideologia, O Tempo Não Para, Todo Amor Que Houver Nessa Vida, Codinome Beija-Flor, Faz Parte do Meu Show e muitas outras. Para relembrar o trabalho deste eterno exagerado do rock nacional, a banda apreesenta um show de releituras de Cazuza, sob direção artística do produtor Ricardo Fábio.

Nenhum dos músicos do PlayVinil conheceu em vida Agenor de Miranda Araújo Neto – o Cazuza - e nem mesmo viveu na sua época, mas todos garantem: cresceram ouvindo músicas, que passo a passo, tornaram-se influências na carreira musical da banda. “Ouvia músicas dele em casa, através dos meus pais, mas tive contato mesmo com a figura emblemática de Cazuza em 2004 quando foi lançado o filme Cazuza – O Tempo não Para. Eu ainda era uma criança e tive que assistir a uma versão do filme com cortes. A história dele me fascinou”, conta o vocalista da banda, Pedro Grili.

Cazuza foi rotulado de rebelde, boêmio e polêmico, mas deixou um toque de genialidade na música brasileira. Essa foi uma característica que aproximou o seu trabalho ao gosto musical do PlayVinil. “Ele era irreverente, tinha um talento unânime. Na minha opinião, ninguém conseguiu marcar tanto as pessoas com seus questionamentos e com sua música. Tudo o que ele fez foi muito inovador”, comenta o guitarrista Ezio Jemma.

O tecladista do PlayVinil, Felipe Ribeiro, conta que descobriu Cazuza por um caminho diferente. Ainda menino era apaixonado pelo trabalho de Cartola e procurando por vídeos do compositor encontrou a música A Vida é um Moinho, gravada por Cazuza. “Era um samba choro, adorei a interpretação que ele deu à canção. Ele era muito espontâneo”. Foi só depois disso que Felipe percebeu o legado musical do compositor. “Isso nos inspirou muito”, conta.

A porção letrista de primeira e o lado poeta foram facetas de Cazuza que criaram elos definitivos com os músicos do PlayVinil. Para o baterista Victor Grili, ele conseguiu expressar tudo que o povo brasileiro queria dizer nos anos 80 e falou a língua das massas. “São letras muito fortes e uma música muito boa”, avalia. Davi Lima também curte a força das letras de Cazuza. “Algo nas músicas que me agrada muito é quando um compositor consegue falar sobre coisas normais, clichês, de maneira única e poética”, avalia.

Para a banda, a obra de Cazuza continua viva e formando novas legiões de fãs. “Como não vivemos essa época, não sabemos a magnitude que “Ideologia” e “Boas Novas” tinham, mas só de escutá-las já da pra imaginar um pouquinho”, acrescenta Ezio.

O Tributo
O primeiro start do tributo “25 Anos sem Cazuza” começou com a regravação da música O Tempo Não Para, canção que fez parte do segundo CD do PlayVinil, denominado CardioRuído, lançado no final de 2013. Depois disso, eles mergulharam na obra, na história da vida, nas influências de Cazuza. Foram seis meses para formatar um show de releituras, com arranjos inspirados nas diferentes fases do roqueiro.

Segundo Pedro Grili, a banda recriou as músicas de um ídolo. ¨Não serão simples repetições daquilo que ele tocou, mas sim a nossa forma de tocar Cazuza, sem, é claro, tirar a originalidade das canções que marcaram a vida de todas as gerações dos anos 1980 para cá¨. E o repertório é vasto. Em apenas nove anos de carreira, Cazuza deixou 126 canções gravadas, 78 inéditas e 34 para outros intérpretes.

Um dos pontos originais do show está na formatação dos arranjos que foram trabalhados de forma a juntar elementos, com modulações que identificam a produção de Cazuza e as influências que ele teve ainda adolescente. O público vai encontrar músicas do roqueiro alinhavadas a partes de sons de Aerosmith, Rush, Led Zeppelin, que também remontam à origem do PlayVinil.

“Fizemos um mix das influências dele com as nossas – por conta disso há fusões de estilos e músicas de todos os tempos. Um passeio desde o rock clássico, ao jazz, à MPB”, explica o tecladista Felipe Ribeiro. A apresentação também guarda espaço para canções autorais do grupo, mostrando a influência do roqueiro sobre o trabalho da banda.

O show conta com direção artística de Ricardo Fábio, que nos anos 1980 era cantor, fazendo bailes por todo o Brasil com o Grupo Nós. Ele viveu intensamente o período musical de Cazuza nos anos 1980 e durante sua trajetória profissional ao lado de artistas como Ney Matogrosso – com quem trabalhou como produtor – pôde acompanhar de perto histórias de passagens destes artistas com o próprio Cazuza, acumulando informações e dados que vão dar ao espetáculo um profundo mergulho na história do rock nacional. Ricardo diz que falar do compositor é falar de uma geração. “Cazuza revolucionou e entrou na vida de todo mundo e o PlayVinil é uma prova de que ele é eterno¨.

Para os músicos da banda, ter um produtor que viveu a era Cazuza traz a presença do roqueiro para o show. “Como o Cazuza foi um dos ídolos do Rico, ela traz sua experiência de palco, a sua visão de músico e a vivência com a música dos anos 80 como referencial para o PlayVinil”, explica o baterista da banda.

Estão previstas ainda várias surpresas durante o espetáculo, com locuções preparadas especialmente para o show, além de depoimentos em vídeos de artistas consagrados da MPB e do Rock Nacional, dando seus testemunhos sobre a vida de Cazuza. Depoimentos como de Ney Matogrosso e Léo Jaime foram gravados especialmente para para o show.

O Tributo ¨25 Anos Sem Cazuza¨, com a banda Playvinil já passou por palcos importantes neste ano de 2015. Estreou no João Rock 2015, foi apresentado num dos maiores teatros do Pais – o Theatro Pedro II em Ribeirão Preto, e, recentemente compôs a programação do Camarote Brahma Country, em Barretos 2015, e também do Bar Brahma em SP, na esquina da Av. Ipiranga com a Av. São João.

Em prol da AVCC – Associação Voluntária de Combate ao Câncer
Quem for ao Clube de Tênis de Catanduva no próximo dia 5 de dezembro para assistir ao Tributo 25 Anos Sem Cazuza, não estará apenas indo a um show de rock. Estará também contribuindo com uma das mais importantes entidades da região que atua de forma voluntária no combate ao câncer.
O Tributo 25 Anos Sem Cazuza acontece em prol da entidade e pretende ajudar na arrecadação de fundos para o desenvolvimento desta importante atividade que a AVCC exerce em Catanduva e região.

Sobre o PlayVinil
O PlayVinil reúne cinco músicos. Nos vocais Pedro Grili; nas guitarras Ezio Jemma; nos teclados Felipe Ribeiro; na bateria Victor Grili; e, no contrabaixo Davi Lima. A banda está na estrada desde 2008, mas foi em 2011, que ganhou projeção por conta de shows - como sua participação na Feira Nacional do Livro de Ribeirão Preto e com o lançamento do primeiro CD. Depois vieram participações em projetos como Pelas Bandas de Ribeirão da Jovem Pan FM/Nova Digital, o que resultou na abertura de espaços para o seu trabalho em emissoras de rádios como Diário FM (Ribeirão Preto), Intersom FM (São Carlos) e Clube FM (Rio Claro). Ao todo, mais de 150 municípios já curtem a banda, principalmente as cidades de Bebedouro, Barretos, Catanduva, Taquaritinga, São Carlos, Araraquara, Franca; principais cidades dos nordeste paulista e algumas cidades do Sul de Minas Gerais.

Além disso, o PlayVinil registrou passagens em eventos como o Carnabeirão, Skol Folia, João Rock 2013/2015, Barretos 2012/2013/2014/2015, Jaguariúna Country Festival.

O grupo hoje já tem fãs de todas as idades e de várias localidades, já que investe no relacionamento com seu público principalmente através das redes sociais. Para conferir o trabalho basta acessar o Facebook onde há uma página oficial da banda (www.facebook.com/playvinil).

SERVIÇO:
Show: Tributo ¨25 Anos Sem Cazuza¨ com a banda PayVinil
Data: 05 de dezembro 2015
Horário: 22h
Local: Clube de Tênis de Catanduva – Rua Icém, 61, Catanduva, SP.
Informações: (17) 3524 9300
Venda de ingressos e reservas de mesa direto no CTC – Clube de Tênis de Catanduva


Informações para a Imprensa:
Verbo Nostro Comunicação Planejada – (16) 3632-6202 / 3610-8659
Jornalistas responsáveis: Luciana Grili (16) 99152 2707, Valter Jossi Wagner (16) 99152 2700 e Andréa Berzotti (16) 99138 6185
Data de inclusão: 02/12/2015
Fone: () 
Contato: Rogerio
Empresa: #INCorporativa*
Entrar em contato: Entrar em contato
Grupo editorial: [Arte-Cultura-Lazer][Cidades][Música]
Este Release foi visto 479 vezes

Assessoria de Imprensa
LOGIN -  Inserir Release
Cadastrar Assessoria
Receber Clipping

 

saibamais

 

Clipping para Editores
Cadastrar Midia
Alterar cadastro de Midia
egoi
 
Alguns veículos cadastrados no clipping:
midias
 
 
 
 
 
 
  editora  

INCorporativa Comunicação

Publique seu livro - Saiba mais
   
       
       
       
 
       
 
Institucional
Quem Somos
Política Privacidade
Como funciona
 
Nas Redes Sociais  
Facebook Twitter
Linkedin ME Adiciona
 
Todo o conteúdo divulgado decorre de informações advindas das fontes mencionadas, sendo, portanto, de responsabilidade exclusiva da fonte ou do autor, não cabendo à INC Comunicação, à Revista ou Pautas INCorporativa responsabilidade por citações, teor, exatidão ou veracidade do conteúdo, produto ou serviço divulgado. Indicação de publicações são apenas para divulgação, não sendo avaliados por este veículo de comunicação.